Carrinho de compras(0)
 Carlos Góes
  1. Escritor, Roteirista, Diretor, Radialista.
gallery/9c612912ca4cb57682f8c9d4c4d173b1_200x200
Comunicação integrada.
Currículo

O que eu já aprontei até aqui.

Criatividade. energia. bom humor e networking.

 

Um pouco da minha história.

 

  • Meu primeiro trabalho foi como auxiliar de almoxarifado no Colégio Salesiano Santa Rosa, em Niterói, aos 14 anos. Trabalhei também na quitanda do seu Jairo, em frente à minha casa. Eram trabalhos esporádicos.
  • Não achava que estudar iria me dar alguma coisa. Até porque não tinha grana para estudar o que eu queria, que era Medicina. Demorei muito até poder confessar isso porque não queria que meus pais se sentissem frustrados de não poder me proporcionar isso, dadas as condições financeiras da época.
  • Fiz vestibular para Direito e Ciências contábeis e passei. Na UFF e na UFRJ; passei também para Engenharia no Cefet. E artes Cênicas na Uni-Rio.
  • Quando comecei a faculdade de Ciências Contábeis na UFF em 1995 consegui um estágio no departamento de pessoal da extinta De Plá, uma rede de lojas de revelação de fotografias. Não me adaptei à rotina de escritório e fui para a área de vendas da empresa. Comecei minha carreira de vendedor. Mas lá ganhava pouco.
  • Arrumei um emprego em uma loja de acessórios para surf, a Surf e Cia. Que lugar legal. Me divertia e ganhava uma grana em que a economia do Brasil ia bem.
  • Larguei Ciências Contábeis. Comecei Direito na UFF. Levei a faculdade na sacanagem. Em um dos poucos dias que eu frequentava, um maluco fo vender um curso de Inglês que de cara eu senti que era a maior furada. Era tosco demais o material. Perguntei se eles precisavam de professores. Fui contratado :)
  • Dei aula neste curso na rua Uruguaiana. Meu Inglês nem estava tanto em dia mas resolvi começar a praticar sério porque queria meter o pé para os EUA.
  • Em Fevereiro do ano seguinte viajei para Monterey, na Califórnia, onde trabalhei como garçom e auxiliar de padaria. Marquei um tempo na Califórnia. Tempo de excessos. Tudo dentro da lei ou quase porque não queria ser preso lá. Tomei multa na primeira semana por andar de bicicleta sem farol. O negócio é sério. Voltei para o Brasil para participar da primeira oficina de humor da TV Globo. Terminei a oficina e não fui efetivado.
  • Comecei a estudar Cinema na Estácio. Voltei para a Globo através do programa Estagiar. Antes disso fiz um estágio como assistente de produção na Tec Cine, em Botafogo. De volta para a Globo fui assistente de direção do programa Zorra Total. Larguei a faculdade de Cinema no último período e o emprego na Globo, pois estava noivo de uma moça que estava de mudança para São Paulo.
  • Primeiro casamento. Voltei a dar aulas de Inglês enquanto escrevia roteiros Free-lance para o João Kléber, Márcia Goldsmith, e Programa Pânico. Dei aula de dramaturgia e interpretação para TV na Recriarte, Estúdio Fátima Toledo e Curso Nilton Travesso.
  • Tirei carteirinha de ator e de repórter cinematográfico. Registro em ambos os sindicatos. Tá tudo lá.
  • Pânico indo para a TV. Minha tacada foi ficar amigo dos donos da produtora que colocou o Pânico na TV. Renata e Marcelo. Casal maneiríssimo. Meteram o pé do Brasil e estão muito bem na Suíca. Brasil realmente é terrível se comparado a países civilizados.
  • Comecei a trabalhar na "A" Filmes, onde fazia atendimento, escrevia roteiros e comecei a dirigir filmes institucionais. Aprendi pra caramba. Aí um brother meu me ofereceu uma parceria para que eu investisse na minha empresa.
  • Grande Rodrigo. Meu primeiro filme pela minha empresa. Com um bom orçamento para eu administrar. Não choveu gravei o filme em uma diária. Dei sorte de resolver tudo rápido. Quem dera fosse sempre assim. Paguei cartões de crédito atrasados, comprei equipamento e bati na porta do Bradesco. Consegui a conta.
  • Pensei: -p**ra, esse negócio é bom. Aí virou bagunça. Comecei a chegar em um monte de empresas de renome. Gente grande chama gente grande.
  • Montei minha produtora de vídeo em Novembro de 2004, realizando um vídeo para a Fininvest. Comecei a atender Bradesco, Voith Siemens, Nestlé, Accor, Arno, Acer, Casas Pernambucanas e uma infinidade de outros clientes.
  • Queria dirigir um filme mas não tinha ninguém quente no Ministério da Cultura para aprovar um edital. E eu mereço. Sei dirigir. Sei escrever. Na Ancine não tinha limite para captação porque nunca tinha dirigido porra nenhuma. Como iria fazer?
  • Olhei para aqueles mendigos, falei: "-isso é grátis! Hoje qualquer emissora sem pauta vai lá e entrevista mendigo. Imitação do cacete. Comecei a fazer perguntas aleatórias para os caras. O que vem primeiro? O ovo ou a galinha? Deus existe? O Brasil tem jeito? Tudo o que nenhum jornalista de respeito aprende em 5 anos de faculdade. Fiz de má vontade para zoar esse negócio. A parada foi um sucesso. Soltei um release na mídia. Todo mundo respondeu. Curtiram a provocação. Agradeço a eles. Meu filme nem estava oficialmente pronto e já estava ganhando prêmio pelas mãos do Serginho Groissman, ao lado do Douglas Silva de Cidade de Deus.
  • Na hora que lancei no You Tube que estava começando naquela época, pouca gente viu. Não tinha orçamento e não queria alugar sala de cinema. Arrumei uma porrada de contas por conta do meu filme. Fui convidado a exibĺ-lo no Canadá e na Alemanha. Não fui porque não quis pagar a legendagem.
  • Ganhei o Prêmio Jovem Brasileiro 2007.
  • Apresentei dois programas na TV Alphaville, do Grupo Silvio Santos.
  • Comprei a A filmes. 
  • Experimentei algumas drogas, algumas, algumas vezes para ter certeza.
  • Minha substância favorita virou a Ritalina que a neurologista me passou para melhor o foco e a concentração. Dentro da lei. E solução para estudar.
  • Depois disso me formei em Matemática. Acho que funcionou. Gostei tanto de estudar que fiz mais 2 faculdade e duas pós-graduações. Recalque por não ter estudado na hora certa.
  • Montei uma ONG. Virou utilidade pública. Proporciono reforço escolar gratuito para crianças e adolescentes.
  • Apertei a mão do Silvio Santos. E de dois ex-presidentes.
  • Conheci uma capa da Playboy americana e algumas da Playboy brasileira. :)
  • Uma top model internacional aposentada. :)
  • Produzi eventos e feiras.
  • Comprei terrenos e construí casas para vender.
  • Negociei cavalos sem entender nada à respeito.
  • Fotografei chacinas para a imprensa marrom.
  • Fotografei prostitutas pra revistas e sites especializados.
  • Montei a minha TV;
  • Conheci a galera do Two and a Half Men e do Big Bang Theory. 
  • Consegui a minha rádio;
  • Vim candidato a vereador.
  • Trabalhei como agente prisional. Passei e tomei posse em 4 concursos públicos. Um em primeiro lugar, um em terceiro um em quinto, um em décimo-sétimo. Virei concurseiro. Achei um barato esse negócio.
  • Comecei a vender imóveis e seguros.
  • Comecei um mestrado em Matemática.
  • Comecei Odontologia na UFF. Passei em quarto lugar.
  • Estou terminando de escrever meu primeiro livro.
  • Concluí Administração, Letras, Matemática. Fiz Pós em Finanças e Inglês.
  • Não concluí Cinema, nem Direito nem Odontologia. Não concluí meu mestrado em Matemática.
  • Há 10 anos morando no interior. A real é que é um tédio do cacete. Mas é bom porque tem tempo de sobra para refletir e se preparar para desafios maiores.
  • Casei e agora sou pai. Isso sacudiu tudo. Se soubesse o quanto era bom tinha sido pai antes. Muda totalmente sua perspectiva de vida.
  • Agora estamos com projetos diferentes. Agregando parceiros para novas propostas.
gallery/22729018_506763709682551_1603375797581734551_n

Eu e a atriz americana Holland Taylor, do seriado Two and a Half Men no estúdio da Warner em Los Angeles.

Είμαι ο Κάρλος. Δεν υπάρχουν απομιμήσεις. Δεν μπορώ να ξεχάσω. Ποτέ δεν ξέχασα, δεν θα ξεχάσω τίποτα. Ίσως υπάρχουν πράγματα που δεν γνωρίζουμε ή απλά δεν μπορούμε να τα καταφέρουμε. Υγεία!

Resumo na área de comunicação:

 

  1. Montei a Orangotango Filmes.
  2. Montei o Canal Offshore em Macaé. Canal VIP Macaé
  3. Assistência de direção na Rede Globo.
  4. Oficina de humor na TV Globo.
  5. Produção e direção de mais de 300 vídeos institucionais e comerciais. Com nota fiscal pra comprovar
  6. Atendimento de contas como Bradesco, Fininvest, Cargill, Nestlé, Ford, Amanco, isso de empresas conhecidas, cujo público é o consumidor final.
  7. Diretor, editor e atendimento na A filmes - SP
  8. Apresentador do Programa Tunado e Estilo e Negócios da TV Alphaville (SBT)
  9. Apresentador de programas de televendas.
  10. Produtor de eventos.
+55 (22) 98807-4140

 Roteiros para rádio, cinema, TV e publicidade. profcarlosgoes@gmail.com

gallery/screenshot 2018-03-12 at 13.36.10
gallery/screenshot 2018-03-12 at 13.36.23
gallery/screenshot 2018-03-12 at 13.36.33
gallery/screenshot 2018-03-14 at 07.09.31
gallery/screenshot 2018-03-14 at 07.09.34
gallery/27072598_163608017695828_7982363777803910441_n
gallery/0042
gallery/0041
gallery/0040
gallery/0039
gallery/0037
gallery/0036
gallery/0035
gallery/0034
gallery/0033
gallery/0032
gallery/0029
gallery/0030
gallery/0028
gallery/0027
gallery/0025
gallery/0024
gallery/0023
gallery/0022
gallery/0021
gallery/0016
gallery/0011

Estou lançando este ano minha primeira novela. Assassinato, corrupção, prostituição, drogas, traição, religião e a princípio nada a ver com a vida real.  Estamos negociando com duas editoras.

Seja feliz.
  • A vida tem contornos diferentes para cada pessoa. Acho que o principal é encontrar o seu equilibrio. Porque tudo passa muito rápido. Morei 7 anos em São Paulo e não via minha vida passar. Tive uma série de vitórias e satisfações na megalópole. Mas em algum momento me sentia extremamente só e vulnerável no meio daquela imensidão de pessoas. Tive que parar para colocar as coisas em perspectiva. Rever alguns valores. Repensar minha carreira. Repensar minha vida pessoal e espiritual. Produção de TV em diversos momentos é extremamente estressante e uma médica que conheci uma vez disse que eu tive " estresse pós-traumático" que é uma disfunção que gera horror em certas pessoas a uma ativdade que realizou passionalmente. Ocorre muito em pilotos que chegam um dia e chegam a ter horror de aeronaves. É tratável. E curiosamente sabotei meu negócio porque vivia triste e frustrado, mesmo dirigindo bons carros, indo para Ilhabela e curtindo roteiros de viagens chiques e invejados por muitos. Felicidade varia de pessoa para pessoa. Você não é o seu trabaho. O seu trabalho é o seu sustento. Para um fim. Garantir a sua sobreviência e a da sua famĺia. E se você precisa consumir demais para ser feliz, tem alguma coisa errada com a sua vida. Desconfie do seu excesso de frustração. Para alcançar a felicidade que na verdade é até um engodo, porque você tem momentos de extrema felicidade e de extrema tristeza. O principal é se respeitar para se sentir equilibrado, sem fazer nada que te agrida diariamente. E tomar decisões para ser feliz normalmente custam bem caro. Você terá que sacrificar alguma coisa. Cada escolha uma vitória e uma derrota ao mesmo tempo. Esta é uma balança bem difícil de equilibrar. Mas é possível. Tenha fé.